quarta-feira, 25 de abril de 2018

era como se milhares de lâminas atravessassem seu corpo.
o primeiro beijo passando em looping em sua mente. fica comigo, ela dizia. estamos juntos, ela dizia.
estavam. até que não estavam mais.
quando foi que o amor virou apatia?
ouvia dizer que a tristeza significa que não houve tempo desperdiçado.
agora ela só conseguia se lembrar dos sorrisos durante os cafés da manhã compartilhados na mesinha, com os gatos puxando a toalha.
foi ela mesma quem tomou essa decisão?
as longas noites de música, gin tônica e sexo. dá pra ficar embriagado de sexo? os dois haviam sentido a mesma embriaguez, numa entrega sem precedentes.
ele a esperava com um chá de gengibre, para que se sentisse melhor da gripe.
ela, com o coração já partido, tomava o chá e dizia que precisava ficar sozinha.
a dependência dele a incomodava um pouco. sufocava, talvez.
ansiava que ele fosse completo, assim como ela, para que então pudessem caminhar juntos - como dois.
um dia ela admirou aquela felicidade quase infantil. sorriso de neném, ela dizia.
"este rompimento é a vitória do nosso amor, não a derrota." não se lembrava de ter visto nele essa lucidez.
o desejo era claro ali. se abraçaram. se beijaram.
se despediram.
hasta siempre, ele disse.
era como se milhares de lâminas atravessassem seu corpo.

nesta manhã não teve bom dia. não teve café quentinho. mesmo os gatos estavam apáticos.

o vazio tinha tomado conta de tudo.

domingo, 14 de setembro de 2014

hoje eu chorei. chorei no carro, vindo para o trabalho.

faz duas semanas que nos separamos e hoje foi a primeira vez que chorei. e nem foi uma música a me trazer você na memória, pois, ineditamente, esqueci de ligar o som do carro.

vai ver foi o silêncio mesmo. esse silêncio tão dolorido com o qual eu convivi diariamente nos últimos tempos. o silêncio que eu não podia quebrar pra não te atrapalhar – nos seus estudos, nos seus ensaios, nos seus trabalhos, nas suas leituras.

chorei de raiva. de raiva de você. de raiva da sua fraqueza. de raiva do seu egoísmo. de raiva de passar sábados à tarde sozinha em casa enquanto você "resolvia suas coisas". de raiva de ter ido sozinha às bodas de papel da minha prima. de raiva de ter voltado de ônibus sozinha para casa, tarde da noite, debaixo de chuva, por que você não podia parar de tocar para ir me buscar. chorei de raiva de não poder assistir futebol na televisão.

estive sozinha por tanto tempo... e te disse isso tantas vezes!! mas aparentemente você estava ocupado demais com "suas coisas" para escutar o que sua esposa dizia.
esse seu egoísmo, esse seu medo idiota de se relacionar... estive cinco anos ao seu lado pra te amar, pra te ensinar a amar – e não a me amar somente, mas a amar a vida, o mundo, as pessoas.
falhei miseravelmente.

chorei de raiva de você por me obrigar a deixar você.





domingo, 18 de dezembro de 2011

'Cause love's such an old fashioned word
And love dares you to care for
The people on the edge of the night
And loves dares you to change our way of
Caring about ourselves
This is our last dance
This is our last dance
This is ourselves
Under pressure

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

home

quero voltar pra cá, alguém tem alguma objeção?

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

aqui, ó

http://melindres.blogspot.com/


e esta casa será oficialmente fechada.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

pqp, galera. eu fiz a fernanda e achei q quinta-feira era um bom dia pra beber e talz.

daí q chego no trampo q pipocam jobs na minha pauta, normal tirando minha vontade nula de fazê-los. niki eu vejo um job q achava q já tinha feito e talz. ligo pro atendimento "patz, tem outro job daquele aqui na minha pauta, q q aconteceu, vc abriu outro?"
- não. mas como assim tem outro? pq esse sistema é uma meeeeerda, isso fica duplicado joooooobs, blablablablabla. vamos falar com o moço do sistema, pq isso não pode ficar assim e...
- ops, patz. pera. é que... erm... é o mesmo job q já tava aqui, eu q fiz e não dei baixa, riririririri.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

ensinamentos

eu: tô com um sono q não é meu
 
irmã: não foi isso que nosso pais nos ensinaram!!!
devolve, já!!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

shots de amor

(12:13 PM) TT:  Carol...analisa.... nãoo sou eu a pessoa...hehehe...Tem um programa da globo que é com jovens reportes, ontem o tema era alcolismo,,,alguem que eu conheço disse que ia ver pra chegar a conclusao se é ou não um caso perdido
(12:14 PM) TT: a pessoa nao viu o programa,,,ou nao prestou atençao pq estava...
(12:14 PM) TT: meio alcolizada , o que vc acha???




não tem como não amar essa repartição, people.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

das coisas que eu não consigo achar normal

irmã: sexta-feira véspera de feriado, se eu sair de botafogo hj às 18h chego em niterói com muita sorte só lá pelas 22h... ainda bem que eu comprei aquele sanduíche lá no peixe urbano, aí paro pra comer e fico aqui pelo rio mesmo e só volto pra nikiti mais tarde.

eu: mas vc vai ficar sozinha? quem vai ficar com vc?

irmã: vou comer só. depois devo ir a uma festa no santa marta. acho que felipe e marize vão comigo.

eu: festa no morro, irmã?

irmã: o santa marta tem UPP. é sussa.

eu: aaaahh, claro. polícia no morro deixa tuuuudo mais tranquilo. ¬¬

irmã: ah, irmã fica tranquila. é uma festa da rádio comunitária, não de traficante.


o.O