domingo, 14 de setembro de 2014

hoje eu chorei. chorei no carro, vindo para o trabalho.

faz duas semanas que nos separamos e hoje foi a primeira vez que chorei. e nem foi uma música a me trazer você na memória, pois, ineditamente, esqueci de ligar o som do carro.

vai ver foi o silêncio mesmo. esse silêncio tão dolorido com o qual eu convivi diariamente nos últimos tempos. o silêncio que eu não podia quebrar pra não te atrapalhar – nos seus estudos, nos seus ensaios, nos seus trabalhos, nas suas leituras.

chorei de raiva. de raiva de você. de raiva da sua fraqueza. de raiva do seu egoísmo. de raiva de passar sábados à tarde sozinha em casa enquanto você "resolvia suas coisas". de raiva de ter ido sozinha às bodas de papel da minha prima. de raiva de ter voltado de ônibus sozinha para casa, tarde da noite, debaixo de chuva, por que você não podia parar de tocar para ir me buscar. chorei de raiva de não poder assistir futebol na televisão.

estive sozinha por tanto tempo... e te disse isso tantas vezes!! mas aparentemente você estava ocupado demais com "suas coisas" para escutar o que sua esposa dizia.
esse seu egoísmo, esse seu medo idiota de se relacionar... estive cinco anos ao seu lado pra te amar, pra te ensinar a amar – e não a me amar somente, mas a amar a vida, o mundo, as pessoas.
falhei miseravelmente.

chorei de raiva de você por me obrigar a deixar você.





Nenhum comentário: