terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

fee fi fo

Mími tinha uns 13 anos quando ouviu Dreaming my Dreams pela primeira vez. Uma gravação tosca e totalmente desafinada, mas a voz da moça era tão bonita que ela resolveu ir atrás.

Foi assim que começou. Eu, Mími, Preta e Irmana, e mais tarde alguns outros influenciados. Cranberries no carro, em casa, no discman (sim, naquela época usávamos esse trombolho) e, claro, no violão. Todo mundz aprendendo a tocar, e o que pode ser melhor que uma banda que tem acordes ridículos de tão fáceis e músicas de gritar? (Pq, né? Legião Urbana tb tem acordes fáceis, mas zZZzzz.)
Claro que nunca gritamos como Dolores. Mas gritávamos de coração.

Certa vez, 2007 se não me engano, mais uma vez eu e Preta estávamos na Ilha no carnaval e pô, roquenrou, não quisemos sair à noite. Geral foi dar rolê e ouvir axé music e nós ficamos sozinhas em casa. E fizemos A balada. Nós duas, bêbadas de dar dó, sozinhas em casa tocando violão. Ridiculous Thoughts. Dá pra imaginar? Vezeenho veio pedir educadamente pra gente calar a boca, porque, né? Eram quatro da manhã e ele precisava dormir.

Alguns anos antes, na mesma casa de praia, Preta quebrou o limoeiro dando pulos após ela e Irmana tocarem base e solo de Promises num mesmo violão, ao mesmo tempo.

Mooitos anos depois, namorado lindo canta Dreams pra namorada. Own.

Entre essas e muitas outras histórias, Cranberries sempre esteve lá. Nunca havia me sentido como nesse show. A trilha sonora da minha vida rolando ali, alta, linda, cantada, gritada, chorada, sentida, suada. Setlist perfeito. Adicionaria talvez Hollywood e Delilah, mas só. E a dancinha, genth. Quem conhece Cranberries conhece o jeito de dançar de Dolores. E ela tava ali, tão perto, mas tãoo perto... Catarse, Brasil. Catarse.




Depois disso, Metallica foi fichinha.

3 comentários:

Liva disse...

Ahhhh, a dancinha da Dolores, hahaha. Cranberries (L)

Nina disse...

ok te invejo.

queria tanto ter ido!!

Deve ter sido LINDO..ai..meu coração =/

Anônimo disse...

ui, arrepiei!
amo
bj
Mími