quinta-feira, 5 de novembro de 2009

from hell

- Ninguém mandou você arrumar um namorado tiozinho. Dá nisso aí.


Tiramos uma semana de férias e fomos viajar. Nossa primeira viagem juntos, só nós dois, todos aqueles receios, medos e frios na barriga que no fundo a gente gosta de sentir.

Mas o gatinho tem hérnia de disco. Duas.
E, como Murphy é meu camarada, ele travou a coluna. No primeiro dia.

Rumamos ao pronto-socorro da city. Fomos à pé, pq a gata aqui não dirige. Zupeer apropriado pra quem tá travado da coluna. Enfim.
Lá, fila. Mas é clarooo! Fila. Duas horinhas de um dia de férias dispendidas no saguão de um hospital de cidade pequena.

Quando tinha conseguido abstrair do calor que estava na sala de espera do inferno, adentra A figura. Marujo mais bêbado do q eu já fiquei durante minha vida toda (será?), reclamando de dor na visica, dizendo que se não fosse atendido naquele exato momento ia morrer de tanta dor. Eu ri. E eu ri alto. Ele veio na minha direção.

Hahahaha, não sabia o que fazer. E o moço queria interagir. E eu queria rir. Segurandoo a gargalhada. Como não conseguisse concentrar sua atenção por mais de trinta segundos em algo, visto seu estado etílico, desencanou e foi de volta à recepção reclamar.

Nikii a porta do consultório se abre e o dotô chama o nome do namorado. A hora que vi a cara da figura, outro ataque de riso: era o Zé do Caixão. Juro, idêntico. Mojica ia examinar meu gatinho. Fiquei preocupada com as unhas. Ri. De novo.




E agradeci por o problema ser nas costas.

5 comentários:

Marcelo Mayer disse...

ainda bem que era essa a especialidade do "dotô"

Criola disse...

O pior é que todo(a)s chegaremos na idade da hérnia...

Fernanda disse...

medo desse médico.

dia desses também "dei um jeito" na coluna. UÓ, meodeos. uó.


tava com saudade dos seus posts. :)

beijo

Lí disse...

E ai num sei de quem fiquei com mais dó nesse história....kkkk.

honey disse...

Puxa, há tempos eu não te lia...

Adorei encontrar o que estou encontrando... estes maravilhosos textos bem humorados... com um desfecho sempre muito inesperado e que também constitui o ponto forte dos seus melhores...

Que bom que esteja desenvolvendo este estilo.... beijoca