quarta-feira, 1 de abril de 2009

you know that i'm no good

Eis que eu tenho alguém, né? Não, não é o Boff destinatário da correspondência dolorida.
É um Purtuguês baixinho, marrento e muito querido. Muito. Demais da conta.

Ficamos pela primeira vez no dia do meu aniversário de 18 anos – há nove anos, portanto.
Desde então nos relacionamos, mais em algumas épocas, menos em outras, mas sempre nos gostamos muito e sempre mantivemos contato.

O lance é que temos saído juntos numa pegada namorandinho. Estaria tudo lindo não fosse o fato de já termos tentado fazer isso algumas vezes em tempos distantes e não ter dado certo.

Nunca dá certo, mas ele é envolvente, galanteador. Eu não resisto. E lá vamos nós de novo!

Mas, nooope, o problema não é (com) ele.

Quando estávamos no auge do envolvimento, resolvi largar dele para voltar com o Ex. (santa burrada, batman!)

Sem contar essa peripécia, eu também já fiquei com o melhor amigo dele. Tudo bem, ele não tava, era carnaval, oba-oba!, mas era amigo dele!!!!!

Há outras ainda. Ele já foi numa festa pra me encontrar e eu dei perdido, já fomos viajar juntos e voltamos separados... Anfãn, em nove anos já consegui pisar na bola com ele mais de um zilhão de vezes.

E o cara ainda sai comigo! Ainda tem a cara de pau de tentar um relacionamento comigo! Benhê, não é por mal, não, mas se vc tivesse me feito um terço do que eu aprontei com vc já era motivo suficiente pra eu nunca mais lhe dirigir a palavra!

Então alguém me responde, meodeooosss, por que raios é que esse cara ainda sai comigo? Como é que ele ainda consegue gostar de mim? Como é que ainda consegue confiar em mim?

Da última vez que saímos, ele apareceu pra me buscar com flores. FLO-RES!

Purtuguêêêês, vc ainda não percebeu que eu não valho nadaaaa??? Que mais dia menos dia eu posso conhecer alguém mais interessante que você e te dar um pé na bunda – de novo?

Por favor, meu amor, seja menos gentil, menos compreensivo, menos engraçado, menos companheiro... Não, isso não vai me fazer gostar mais de você. Mas vai fazer com que eu tenha menos peso na consciência ao dump you again.

Um comentário:

honey disse...

:-* eu não conhecia o adjetivo "marrento".
Este está mais bem escrito, sabia?
A construção das frases e parágrafos permite uma leitura que flui melhor.