terça-feira, 14 de abril de 2009

ode à memória de peixe

Eu invejo as pessoas que têm boa memória. Não consigo me lembrar de coisas simples, coisas recentes. “Lembra que semana passada você me contou que blábláblá...?” Não, eu não lembro. E não é que não me lembro de ter contado: esqueço é do fato narrado. Faço um esforço danado, mas simplesmente não consigo me lembrar. Aí as pessoas contam e eu dou risada do acontecimento como se fosse inédito. O Boff costumava dizer que eu não presto atenção às coisas. Talvez seja isso. Ou talvez a quantidade de entorpecentes que já usei impeça minhas sinapses. Anfãn.

O fato é que Loo é uma dessas pessoas. Ela não tem apenas boa memória, a moça é um registro ambulante. Tudo o que você perguntar ela sabe. Tudo ela lembra. E não é só sobre ela, não. Dia desses estávamos dissertando, eu, ela e Lee, sobre nossos percalços.

- Nossa, e aquele cara da outra agência que você saiu algumas vezes, deosdocéo??? Um baixinho horrorosooooo!
- Ah, mas era tão feio assim??
- Lee, é sério, desacreditei qdo vi a Ca com aquele cara!
- Hahahaha, nossa, Loo, nem me lembrava direito dele... E não fala de baixinho não pq o Purtuga tb é piquinim!
- Mas ele era menor que você, Caaaaaa! Não lembra que ele não te alcançava em certas posições???



Agora me diz: não tem coisa que é preferível esquecer?

Nenhum comentário: