terça-feira, 31 de março de 2009

Exatos dois meses depois do ocorrido, perdi o emprego.

- Entramos numa entressafra e teremos que dispensar uma das revisoras. E, ohoh!, a escolhida foi você.
- A partir de quando?
- Amanhã.

Great!
Era realmente tudo o que eu precisava, não?? Sem namorado, sem emprego e sem irmã! (minha irmana estava morando na Europa nessa época)

Depois disso fiquei um bom tempo suspensa. Assim, sem sentir nada, sabe? Às vezes pedia secretamente pra que algo ruim acontecesse. Nenhuma desgraça, claro, mas algum sofrimentozinho que me fizesse sentir alguma coisa. Preferia sentir algo ruim a não sentir nada. Outra pessoa estava vivendo minha vida, não eu. Tava só existindo, não tava vivendo. Suspensa, só observando as coisas acontecerem.

Talvez fosse um período necessário de reclusão e descanso para aguentar o que viria depois... Mal sabia eu o que Papai do Céu me preparava...

3 comentários:

honey disse...

Se este é continuação do outro, publicado numa tacada só, a ordem não está invertida?
bjs

Leila disse...

Ahn, não entendi pq achaste invertido... Os mais novos ficam pra cima, né?
Se for pela "falta de desfecho", é pq ainda não terminou mesmo, rs.

Obrigada por vir ler, Honey, e assim que passar essa vergonha divulgo aos amigos, hehehe.

Um beijo grande.

Leila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.